Oftalmologia

Multiclin Clínica Oftalmológica Especializada

Por redação SOBLEC 15 ago, 2018

O manual a seguir é uma adaptação de uma publicação da SOBLEC – Sociedade Brasileira de Lentes de Contato e contém informações fundamentais para o uso correto das lentes de contato. Ele deve ser lido na íntegra, para que você possa conhecer e entender a dinâmica do uso de lentes de contato:

Você acabou de passar pelos testes necessários antes de iniciar o uso de suas lentes definitivas. Os testes são importantes para que você tenha sucesso no uso de suas lentes. Por isso o seu oftalmologista estudou seus olhos e suas necessidades, para saber qual seria a lente de contato mais indicada para você.

A adaptação de lentes de contato é um procedimento médico, pois envolve o contato direto das lentes sobre a córnea e pode interferir diretamente no seu metabolismo, o que na prática pode resultar em complicações oculares.

Portanto, o seu oftalmologista é o profissional mais preparado para fazer a adaptação das suas lentes com critério e segurança. Antes de escolher as lentes que você irá começar a usar a partir de agora, você foi examinado para saber se você é portador de alguma alteração ocular que impeça ou interfira no uso das lentes.

A adaptação as lentes de contato é um processo contínuo no qual você pode se sentir bem adaptada hoje, porém não significa que no futuro, estará livre de complicações oculares. Por isso, é necessário passar por uma revisão periodicamente. Pergunte ao seu oftalmologista quando que você deverá retornar para ser examinado com suas lentes.


Cuidados para não cometer os erros mais comuns

As lentes de contato estão evoluindo rapidamente, tornando seu uso mais confortável, cada vez mais seguro e com sistemas de manutenção mais práticos. No entanto, a segurança no uso de lentes de contato depende muito do acompanhamento médico, bem como do seu manuseio, manutenção e uso adequado por parte do usuário.

Com o mau uso das lentes, a chance de vir a desenvolver algum tipo de complicação será muito maior. Podemos listar alguns dos erros ·mais comuns no uso de lentes de contato:

  1. Adaptação realizada fora dos consultórios médicos: é um procedimento que coloca em risco a saúde dos usuários;
  2. Uso de soro fisiológico na manutenção das lentes. O soro não limpa nem retira os depósitos de proteínas das lentes, deixando-as mais sujas, contaminadas e menos confortáveis - podendo, inclusive, causar reações tóxicas devido à presença de preservativos químicos em sua composição;
  3. Uso das lentes de contato além do período recomendado pelo médico;
  4. O não descarte das lentes de contato dentro do período recomendado pelo fabricante;
  5. Desconsiderar sintomas de dor, irritação ou outros sintomas oculares durante o uso de lentes de contato, deixando de procurar o oftalmologista nesses momentos;
  6. Descontinuar o uso de lentes de contato em função de dificuldades encontradas e não buscar ajuda médica para tentar superá-las;
  7. Não realizar assepsia adequada das mãos, do estojo e das lentes;
  8. Deixar de perguntar e esclarecer suas dúvidas com seu médico oftalmologista. Ter dicas e orientações de pessoas não habilitadas é um grande perigo.

 

Dúvidas mais frequentes

É comum o aparecimento de dúvidas quanto ao uso de lentes de contato. Vamos tentar elucidar algumas das mais frequentes:


LENTES DE CONTATO COLORIDAS PARA FINS ESTÉTICOS SÃO SEGURAS PARA O USO?

As contraindicações dessas lentes são as mesmas das lentes não coloridas, bem como, os cuidados de manutenção e as possíveis complicações. Um dos grandes problemas dessas lentes, como das lentes descartáveis de uma forma geral é justamente a imagem que é passada ao público: a de que tais lentes são mais simples ou melhores do que as outras, como se fossem imunes a problemas ou complicações, o que não é verdade.

O USO DAS LENTES DE CONTATO PARA DORMIR AUMENTA O RISCO DE ÚLCERA DE CÓRNEA?

É preciso esclarecer que nem todas as lentes chamadas de uso prolongado são adequadas para uso durante o sono. Além disso, algumas pessoas, em função das condições do olho, não podem dormir com lentes ou fazer uso delas por um tempo muito prolongado, mesmo que sejam apropriadas para esse tipo de uso.

É ADEQUADO O USO DE LENTES DE CONTATO NO MAR, PRAIA, PISCINA OU NATAÇÃO?

Não há problemas em se utilizar lentes de contato para entrar no mar ou na piscina, desde que o usuário dessas lentes não abra os olhos embaixo da água. Aconselhamos a utilização de óculos para mergulho.

PARA FAZER USO DE MAQUIAGEM, COMO DEVO USAR AS LENTES DE CONTATO?

Caso queira usar maquiagem, primeiro coloque as lentes e depois faça a maquiagem. Para remover a maquiagem, procure antes retirar as lentes. Dessa forma, será possível uma maior preservação da lente de contato com produtos de maquiagem, que poderiam contaminá-la ou danificá-la.

O USO DE ÓCULOS ESCUROS É IMPORTANTE PARA A SAÚDE OCULAR?

O uso de óculos escuros não é obrigatório, mas pode trazer mais conforto em ambientes muito claros, além de auxiliar na proteção contra os raios UV. É preciso lembrar que os óculos devem ter lentes de boa qualidade com filtros UV. Não há problema em usar lentes de contato corretivas e óculos escuros sem grau.

EXISTE ALGUMA CONTRA-INDICAÇÃO EM RELAÇÃO AO USO DE LENTES DE CONTATO EM SAUNAS?

Devido ao alto risco de contaminação, deve-se evitar o uso de lentes em saunas.

É POSSÍVEL USAR LENTES DE CONTATO COM CONFORTO E SEGURANÇA DURANTE VIAGENS AÉREAS?

O uso de lentes em aviões deve ser evitado em função do ressecamento causado pelo ar condicionado e baixa umidade relativa do ar. Caso seu uso seja considerado indispensável pelo usuário, recomenda-se a utilização de um lubrificante apropriado.

EXISTE ALGUMA CONTRA-INDICAÇÃO PARA O USO DE LENTES DE CONTATO DURANTE A PRÁTICA DE ESPORTES?

A prática de esportes não contraindica o uso de lentes de contato. Contudo, as lentes duras podem sair dos olhos em esportes de contato físico, ou mesmo, quebrarem em caso de trauma direto (tênis, squash, golf...).

POSSO LAVAR MEU ESTOJO COM ÁGUA FILTRADA E FERVIDA? TENHO QUE LAVÁ-LO? QUANDO DEVO DESCARTÁ-LO?

O estojo que abriga as lentes de contato deve ser limpo semanalmente com água corrente e escova apropriada e exclusiva para este fim. É aconselhável fazer a troca do estojo a cada 3 meses.

INSTRUÇÕES PARA USO E CONSERVAÇÃO DE LENTES DE CONTATO

A manutenção das lentes de contato tornou-se, atualmente, um procedimento simples e prático, mas que deve ser feito de forma correta e rotineira.

Toda lente deve passar por um processo de manutenção que inclua o uso de produtos adequados, limpeza diária, desinfecção e retirada de depósitos de proteínas.

A manutenção correta das lentes é essencial para a prevenção de complicações infecciosas, tóxicas e alérgicas, sendo imprescindível para que seu uso seja confortável.

Por Mario Tadeu 08 ago, 2018
Um olhar atento de pais e professores pode ajudar a prevenir futuros problemas de visão. É cada vez mais comum ver crianças e adolescentes “grudados” em equipamentos eletrônicos. Monitores de videogames, computadores, tablets, smartphones... Muito cedo eles começam a fazer parte da vida das novas gerações, cada vez mais cedo. O uso excessivo destes equipamentos tem aumentado demasiadamente e, com ele, o desenvolvimento precoce de problemas oculares, tais como miopia, cansaço visual, vermelhidão, ardência, lacrimejamento, sensibilidade à claridade, visão embaçada, olhos secos e sensação de peso nas pálpebras, dentre outros.

Pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) indicou um crescimento no uso de celulares em 107,2% e da internet em 143,8%   nos últimos anos, e as telas pequenas desses aparelhos, com baixas resoluções, exigem um foco mais preciso da visão, podendo desencadear a chamada “Síndrome da Visão do Computador”, com a maioria dos sintomas já descritos acima. Quanto maior a tela, alta resolução e imagens nítidas, menor esforço ocular necessário, porém, muito tempo diante desses equipamentos podem gerar os mesmos problemas a médio prazo.

A vista cansada, decorrente da fixação dos olhos na tela de aparelhos que emitem luz durante muito tempo, resulta no aumento entre as piscadas e gera o ressecamento ocular. A curto prazo, a córnea fica hipersensível e gera os sintomas citados; a longo prazo, a córnea pode se tornar menos sensível, ocasionando inflamações e ulcerações. Focar imagens em telas digitais pode causar mais cansaço visual do que a leitura de um livro ou revista. Pausas frequentes podem reduzir a fadiga visual das crianças e adolescentes em contato com esses aparelhos. De acordo com os doutores Christian Wang e Denis Wang, especialistas da clínica Multiclin , o ideal é, a cada 20 minutos, afastar-se e olhar para um outro objeto mais distante por um mínimo de 10 segundos.

Uma visita anual ao oftalmologista deve fazer parte da vida de crianças e adolescentes, já que problemas oculares diagnosticados precocemente terão pouca ou nenhuma repercussão na fase adulta. Se não percebidos, podem prejudicar o aproveitamento escolar e acarretar sequelas para sempre.

O olho humano e displays eletrônicos

As primeiras gerações digitais sofreram muito mais os efeitos dos malefícios causados pela exposição a telas de aparelhos eletrônicos. Os monitores CRT, sigla que traduzida para o português significa tubo de raios catódicos, tinham taxa de atualização de imagem em níveis reduzidos demais para o olho humano e causavam um efeito chamado flickering, uma oscilação quase imperceptível, mas que cansa rapidamente a visão.

Atualmente o LCD, liquid crystal display, tornou-se o principal tipo de tela dos aparelhos digitais. A iluminação é toda feita em uma lâmpada fluorescente especial, que espalha a luminosidade pela tela. Tem uma taxa de atualização, que em geral é algo em torno de 200 Hz ou piscadas por segundo, minimizando os danos à visão. A imagem visualizada em um monitor LCD se mantém estática até que suas cores ou formas mudem, sem cansar tanto a visão como ocorria em um CRT. Como a iluminação tem altas taxas de frequência, o efeito de flickering não ocorre tão nitidamente.

Multiclin Clínica Oftalmológica Especializada

Por redação SOBLEC 15 ago, 2018

O manual a seguir é uma adaptação de uma publicação da SOBLEC – Sociedade Brasileira de Lentes de Contato e contém informações fundamentais para o uso correto das lentes de contato. Ele deve ser lido na íntegra, para que você possa conhecer e entender a dinâmica do uso de lentes de contato:

Você acabou de passar pelos testes necessários antes de iniciar o uso de suas lentes definitivas. Os testes são importantes para que você tenha sucesso no uso de suas lentes. Por isso o seu oftalmologista estudou seus olhos e suas necessidades, para saber qual seria a lente de contato mais indicada para você.

A adaptação de lentes de contato é um procedimento médico, pois envolve o contato direto das lentes sobre a córnea e pode interferir diretamente no seu metabolismo, o que na prática pode resultar em complicações oculares.

Portanto, o seu oftalmologista é o profissional mais preparado para fazer a adaptação das suas lentes com critério e segurança. Antes de escolher as lentes que você irá começar a usar a partir de agora, você foi examinado para saber se você é portador de alguma alteração ocular que impeça ou interfira no uso das lentes.

A adaptação as lentes de contato é um processo contínuo no qual você pode se sentir bem adaptada hoje, porém não significa que no futuro, estará livre de complicações oculares. Por isso, é necessário passar por uma revisão periodicamente. Pergunte ao seu oftalmologista quando que você deverá retornar para ser examinado com suas lentes.


Cuidados para não cometer os erros mais comuns

As lentes de contato estão evoluindo rapidamente, tornando seu uso mais confortável, cada vez mais seguro e com sistemas de manutenção mais práticos. No entanto, a segurança no uso de lentes de contato depende muito do acompanhamento médico, bem como do seu manuseio, manutenção e uso adequado por parte do usuário.

Com o mau uso das lentes, a chance de vir a desenvolver algum tipo de complicação será muito maior. Podemos listar alguns dos erros ·mais comuns no uso de lentes de contato:

  1. Adaptação realizada fora dos consultórios médicos: é um procedimento que coloca em risco a saúde dos usuários;
  2. Uso de soro fisiológico na manutenção das lentes. O soro não limpa nem retira os depósitos de proteínas das lentes, deixando-as mais sujas, contaminadas e menos confortáveis - podendo, inclusive, causar reações tóxicas devido à presença de preservativos químicos em sua composição;
  3. Uso das lentes de contato além do período recomendado pelo médico;
  4. O não descarte das lentes de contato dentro do período recomendado pelo fabricante;
  5. Desconsiderar sintomas de dor, irritação ou outros sintomas oculares durante o uso de lentes de contato, deixando de procurar o oftalmologista nesses momentos;
  6. Descontinuar o uso de lentes de contato em função de dificuldades encontradas e não buscar ajuda médica para tentar superá-las;
  7. Não realizar assepsia adequada das mãos, do estojo e das lentes;
  8. Deixar de perguntar e esclarecer suas dúvidas com seu médico oftalmologista. Ter dicas e orientações de pessoas não habilitadas é um grande perigo.

 

Dúvidas mais frequentes

É comum o aparecimento de dúvidas quanto ao uso de lentes de contato. Vamos tentar elucidar algumas das mais frequentes:


LENTES DE CONTATO COLORIDAS PARA FINS ESTÉTICOS SÃO SEGURAS PARA O USO?

As contraindicações dessas lentes são as mesmas das lentes não coloridas, bem como, os cuidados de manutenção e as possíveis complicações. Um dos grandes problemas dessas lentes, como das lentes descartáveis de uma forma geral é justamente a imagem que é passada ao público: a de que tais lentes são mais simples ou melhores do que as outras, como se fossem imunes a problemas ou complicações, o que não é verdade.

O USO DAS LENTES DE CONTATO PARA DORMIR AUMENTA O RISCO DE ÚLCERA DE CÓRNEA?

É preciso esclarecer que nem todas as lentes chamadas de uso prolongado são adequadas para uso durante o sono. Além disso, algumas pessoas, em função das condições do olho, não podem dormir com lentes ou fazer uso delas por um tempo muito prolongado, mesmo que sejam apropriadas para esse tipo de uso.

É ADEQUADO O USO DE LENTES DE CONTATO NO MAR, PRAIA, PISCINA OU NATAÇÃO?

Não há problemas em se utilizar lentes de contato para entrar no mar ou na piscina, desde que o usuário dessas lentes não abra os olhos embaixo da água. Aconselhamos a utilização de óculos para mergulho.

PARA FAZER USO DE MAQUIAGEM, COMO DEVO USAR AS LENTES DE CONTATO?

Caso queira usar maquiagem, primeiro coloque as lentes e depois faça a maquiagem. Para remover a maquiagem, procure antes retirar as lentes. Dessa forma, será possível uma maior preservação da lente de contato com produtos de maquiagem, que poderiam contaminá-la ou danificá-la.

O USO DE ÓCULOS ESCUROS É IMPORTANTE PARA A SAÚDE OCULAR?

O uso de óculos escuros não é obrigatório, mas pode trazer mais conforto em ambientes muito claros, além de auxiliar na proteção contra os raios UV. É preciso lembrar que os óculos devem ter lentes de boa qualidade com filtros UV. Não há problema em usar lentes de contato corretivas e óculos escuros sem grau.

EXISTE ALGUMA CONTRA-INDICAÇÃO EM RELAÇÃO AO USO DE LENTES DE CONTATO EM SAUNAS?

Devido ao alto risco de contaminação, deve-se evitar o uso de lentes em saunas.

É POSSÍVEL USAR LENTES DE CONTATO COM CONFORTO E SEGURANÇA DURANTE VIAGENS AÉREAS?

O uso de lentes em aviões deve ser evitado em função do ressecamento causado pelo ar condicionado e baixa umidade relativa do ar. Caso seu uso seja considerado indispensável pelo usuário, recomenda-se a utilização de um lubrificante apropriado.

EXISTE ALGUMA CONTRA-INDICAÇÃO PARA O USO DE LENTES DE CONTATO DURANTE A PRÁTICA DE ESPORTES?

A prática de esportes não contraindica o uso de lentes de contato. Contudo, as lentes duras podem sair dos olhos em esportes de contato físico, ou mesmo, quebrarem em caso de trauma direto (tênis, squash, golf...).

POSSO LAVAR MEU ESTOJO COM ÁGUA FILTRADA E FERVIDA? TENHO QUE LAVÁ-LO? QUANDO DEVO DESCARTÁ-LO?

O estojo que abriga as lentes de contato deve ser limpo semanalmente com água corrente e escova apropriada e exclusiva para este fim. É aconselhável fazer a troca do estojo a cada 3 meses.

INSTRUÇÕES PARA USO E CONSERVAÇÃO DE LENTES DE CONTATO

A manutenção das lentes de contato tornou-se, atualmente, um procedimento simples e prático, mas que deve ser feito de forma correta e rotineira.

Toda lente deve passar por um processo de manutenção que inclua o uso de produtos adequados, limpeza diária, desinfecção e retirada de depósitos de proteínas.

A manutenção correta das lentes é essencial para a prevenção de complicações infecciosas, tóxicas e alérgicas, sendo imprescindível para que seu uso seja confortável.

Por Mario Tadeu 08 ago, 2018
Um olhar atento de pais e professores pode ajudar a prevenir futuros problemas de visão. É cada vez mais comum ver crianças e adolescentes “grudados” em equipamentos eletrônicos. Monitores de videogames, computadores, tablets, smartphones... Muito cedo eles começam a fazer parte da vida das novas gerações, cada vez mais cedo. O uso excessivo destes equipamentos tem aumentado demasiadamente e, com ele, o desenvolvimento precoce de problemas oculares, tais como miopia, cansaço visual, vermelhidão, ardência, lacrimejamento, sensibilidade à claridade, visão embaçada, olhos secos e sensação de peso nas pálpebras, dentre outros.

Pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) indicou um crescimento no uso de celulares em 107,2% e da internet em 143,8%   nos últimos anos, e as telas pequenas desses aparelhos, com baixas resoluções, exigem um foco mais preciso da visão, podendo desencadear a chamada “Síndrome da Visão do Computador”, com a maioria dos sintomas já descritos acima. Quanto maior a tela, alta resolução e imagens nítidas, menor esforço ocular necessário, porém, muito tempo diante desses equipamentos podem gerar os mesmos problemas a médio prazo.

A vista cansada, decorrente da fixação dos olhos na tela de aparelhos que emitem luz durante muito tempo, resulta no aumento entre as piscadas e gera o ressecamento ocular. A curto prazo, a córnea fica hipersensível e gera os sintomas citados; a longo prazo, a córnea pode se tornar menos sensível, ocasionando inflamações e ulcerações. Focar imagens em telas digitais pode causar mais cansaço visual do que a leitura de um livro ou revista. Pausas frequentes podem reduzir a fadiga visual das crianças e adolescentes em contato com esses aparelhos. De acordo com os doutores Christian Wang e Denis Wang, especialistas da clínica Multiclin , o ideal é, a cada 20 minutos, afastar-se e olhar para um outro objeto mais distante por um mínimo de 10 segundos.

Uma visita anual ao oftalmologista deve fazer parte da vida de crianças e adolescentes, já que problemas oculares diagnosticados precocemente terão pouca ou nenhuma repercussão na fase adulta. Se não percebidos, podem prejudicar o aproveitamento escolar e acarretar sequelas para sempre.

O olho humano e displays eletrônicos

As primeiras gerações digitais sofreram muito mais os efeitos dos malefícios causados pela exposição a telas de aparelhos eletrônicos. Os monitores CRT, sigla que traduzida para o português significa tubo de raios catódicos, tinham taxa de atualização de imagem em níveis reduzidos demais para o olho humano e causavam um efeito chamado flickering, uma oscilação quase imperceptível, mas que cansa rapidamente a visão.

Atualmente o LCD, liquid crystal display, tornou-se o principal tipo de tela dos aparelhos digitais. A iluminação é toda feita em uma lâmpada fluorescente especial, que espalha a luminosidade pela tela. Tem uma taxa de atualização, que em geral é algo em torno de 200 Hz ou piscadas por segundo, minimizando os danos à visão. A imagem visualizada em um monitor LCD se mantém estática até que suas cores ou formas mudem, sem cansar tanto a visão como ocorria em um CRT. Como a iluminação tem altas taxas de frequência, o efeito de flickering não ocorre tão nitidamente.
Share by: